As varizes são velhas conhecidas dos brasileiros. Para se ter uma ideia, até 70% da população adulta sofre com o problema, em maior ou menor grau. Se não forem tratadas a tempo e da maneira correta, as varizes podem causar sérias complicações para o paciente. Dependendo do caso, somente a cirurgia de varizes é capaz de amenizar a situação.

Ouça este conteúdo:

Quando a cirurgia de varizes é indicada?

Para cada caso de varizes há uma indicação de tratamento que mais se adequa às necessidades dos pacientes. Em casos mais simples, o tratamento pode ser realizado com o uso de meias de compressão, exercícios físicos ou métodos não invasivos, como procedimentos que utilizam tecnologia a laser para tratar os vasos problemáticos.

No entanto, em casos mais graves, em que os pacientes apresentam veias dilatadas em um grau mais acentuado, o médico pode recomendar a realização da cirurgia de varizes. O tipo de procedimento cirúrgico vai depender do grau das varizes apresentado pelo paciente.

Para aqueles que possuem varizes em pequena quantidade e em um grau moderado, a microcirurgia de varizes pode ser o suficiente para remover as veias dilatadas. Elas são retiradas por meio de microincisões na pele, que não precisam de pontos e deixam cicatrizes quase imperceptíveis.

Já para pacientes com um número maior de varizes ou que apresentam falha no retorno venoso do sangue, o tratamento mais recomendado  pode ser a cirurgia de varizes. Ela pode ser realizada da maneira convencional, onde,para realizar o procedimento, é necessário fazer um pequeno corte  na região da virilha e outro no tornozelo para a retirada da safena. Outra possibilidade em cirurgia, é o uso da técnica de endolaser e/ou radiofrequência, métodos que também permitem o tratamento do refluxo de veia safena e varizes. 

Como é o pós-operatório da cirurgia de varizes?

Tão importante quanto a cirurgia em si, o pós-operatório é fundamental para o sucesso da operação. A recuperação depende do tipo de procedimento realizado, mas em todos os casos é importante que o paciente siga criteriosamente as recomendações do médico para evitar problemas que possam decorrer da falta de cuidado.

De maneira geral, o paciente deve: 

  • Usar meia elásticas durante o dia, pelo período de tempo indicado pelo médico. Elas são fundamentais para auxiliar no bombeamento de sangue.
  • Elevar os membros inferiores de modo intercalado, sendo que a frequência e tempo são decididos junto com o médico e cirurgião vascular.
  • Não fazer esforço físico vigoroso no primeiro mês após a realização da cirurgia de varizes. Essas atividades podem comprometer o fluxo sanguíneo e  causar complicações no local operado. Caminhadas leves são geralmente permitidas.
  • Evitar expor-se ao sol constantemente. O recomendado é esperar as manchas roxas (hematomas/equimoses) desaparecem e as cicatrizes ficarem mais claras, para daí então poder expor a região operada ao sol.
  • Evitar depilação, drenagem linfática e outros procedimentos estéticos no pós-operatório mais imediato. Eles podem causar infecções e só devem ser realizados após o período estipulado pelo médico. 

Quais os riscos de uma cirurgia de varizes?

Qualquer procedimento invasivo possui seus riscos. Apesar da cirurgia de varizes não ser de grande porte e ser, em geral, de baixo risco, é importante seguir as recomendações médicas para minimizar as possibilidades de   agravos. Confira alguns!

  • Infecções 
  • Hemorragia
  • Hematoma nas pernas
  • Inchaço (edema) nas pernas
  • Áreas de dormência/anestesia da pele
  • Dor e desconforto
  • Manchas na pele

A importância do acompanhamento médico

Para garantir que a cirurgia de varizes seja um sucesso, é fundamental que o acompanhamento médico aconteça desde o pré até o pós-operatório. Durante a recuperação, além de seguir criteriosamente as recomendações médicas, é importante que o paciente agende um ou mais retornos com o médico responsável pela operação.

Qualquer sintoma descrito pelo paciente ou anormalidade notada pelo médico precisa ser corrigido o quanto antes para evitar problemas maiores. Por isso, o acompanhamento médico é essencial no pós-cirúrgico.

Se você gostou desse conteúdo, acompanhe-nos nas redes sociais! Siga a Coris no Facebook e no Instagram para saber mais sobre saúde vascular. 

Material escrito por:
Cirurgião Vascular - CRM 16481/ RQE 14117 e 14116

Formado em Medicina  pela  Universidade  do  Vale  do  Itajaí  (2010). Especialista em Cirurgia  Geral e Cirurgia  Vascular no Hospital  Universitário Professor  Polydoro  Ernani  de  São  Thiago  -  (UFSC)  Florianópolis  SC. Atua com Angiorradiologia  e Cirurgia  Endovascular  na  CORIS  Medicina  Avançada.   Ver Lattes

Inscreva-se em nossa newsletter

Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.

Do que você precisa? Veja todos os procedimentos realizados pela Coris Vascular.

PESQUISAR