mioma-tem-cura2-100

Mais comum do que você possa imaginar, o mioma uterino é uma condição que atinge mais de 40% das mulheres acima dos 40 anos. Muitas pacientes que se preocupam após serem diagnosticadas com o problema, mas o mioma não tem chance de evoluir para câncer e pode ser amenizado com o tratamento adequado. Saiba mais abaixo!

Ouça este conteúdo:

O que é mioma uterino?

O mioma uterino é o tumor benigno mais comum entre as mulheres. Ele é formado por fibras musculares que se originam da parede do útero e podem apresentar tamanhos variados. A maioria dos miomas é múltiplo, sendo que cada um se desenvolve a partir de uma única célula do músculo liso, tornando-os de origem monoclonal.

mioma-tem-cura-100

Causas

As causas do mioma uterino ainda não são completamente conhecidas, mas sabe-se que os hormônios progesterona e estrogênio possuem influência no desenvolvimento do problema. Durante a gravidez – quando ocorre aumento no nível dos hormônios – as chances de desenvolver o tumor são maiores; já na menopausa a incidência de mioma é bem mais baixa. 

Alguns fatores de risco também podem influenciar no aparecimento da condição. Dentre os principais, podemos citar:

  • etnia (mulheres negras têm mais chance de desenvolver miomas);
  • histórico familiar;
  • início da menstruação em idade precoce;
  • obesidade;
  • má alimentação;
  • ingestão excessiva de bebidas alcoólicas.

Sintomas

Em grande parte dos casos, os miomas são assintomáticos e só são descobertos após a realização de exames específicos. Contudo, o problema pode provocar sintomas característicos, como:

  •     sangramento vaginal em grande quantidade;
  • anemia;
  • cólicas menstruais;
  • sensação de peso ou pressão na parte inferior do abdome;
  • dor pélvica;
  • infertilidade.

Diagnóstico

Quando a paciente apresenta algum sintoma característico de mioma uterino, é hora de buscar a ajuda de um profissional especializado. O diagnóstico inicial pode ser realizado por meio de uma avaliação física detalhada, mas, geralmente o médico solicita alguns exames vasculares para confirmar o problema.

O mais comum é o ultrassom transvaginal, que utiliza ondas sonoras para obter imagens do útero, além de determinar o número e a localização dos miomas. Em casos inconclusivos, é necessário a realização de uma ressonância magnética para obter um diagnóstico correto da situação.

Tratamento

O tratamento dos miomas uterinos deve ser individualizado e de acordo com a necessidade de cada paciente. Os miomas assintomáticos não necessitam de tratamento específico, devendo a paciente apenas realizar acompanhamento médico, ao menos, uma vez por ano.

Já os miomas sintomáticos devem ser tratados para garantir que a paciente tenha qualidade de vida e bem-estar durante sua rotina. Não existe uma cura total para o problema, mas os tratamentos permitem reduzir, significativamente, o volume e os sintomas do mioma. 

Atualmente, existem algumas opções de tratamento para os miomas e/ou para seus sintomas, sem a necessidade da retirada do útero. São eles:

1) Tratamento medicamentoso: geralmente, são utilizados medicamentos para reduzir a produção de estrogênio e impedir o aumento no tamanho do mioma, além de diminuir os sintomas causados pelo problema.

2) Tratamento cirúrgico: as cirurgias – histerectomia, miomectomia, convencional, videolaparoscopia ou transvaginal –  são indicadas em casos mais graves. O procedimento tem como objetivo remover o mioma ou até mesmo o útero, dependendo de cada caso e dos anseios da paciente.

3) Embolização: é um procedimento minimamente invasivo (punção percutânea/sem incisões), que consiste na interrupção do fluxo sanguíneo que mantém e nutre os miomas. A embolização é realizada na Coris por uma equipe especializada. Este procedimento é feito através de um cateter inserido pela região inguinal (artéria femoral) até selecionar a artéria que nutre o útero (mioma) onde são injetadas microesferas que interrompem o fluxo sanguíneo.

Com isso, ocorre um processo de degeneração dos miomas, reduzindo seu volume em até, aproximadamente, 70%. O procedimento permite em mais de 90% dos casos a resolução dos sintomas, principalmente de sangramento, cólicas e sensação de peso e desconforto na pelve. A alta hospitalar é em 24 horas e a recuperação é rápida.

Os miomas uterinos acometem uma parcela grande da população feminina, acarretando diminuição da qualidade de vida destas mulheres. É importante a consulta com o seu médico ginecologista para a investigação e diagnóstico do problema bem como para discutir as variadas formas de tratamento, já que pode haver diferentes opções a depender das características dos miomas, anseios e desejos das pacientes.

Está com suspeita de mioma uterino? Agende uma consulta com nossos especialistas pelo Whatsapp. Será um prazer lhe atender!

Material escrito por:
Cirurgião Vascular e Endovascular - CRM 7812 - RQE 8635

Formado em Medicina pela Universidade Federal de Santa Catarina (1997). Atualmente é cirurgião vascular do Hospital de Caridade, angioradiologista – Clínica Radiológica Imagem e médico Cirurgião Vascular e Endovascular do Governo do Estado de Santa Catarina (Instituto de Cardiologia de Santa Catarina). Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Cirurgia Vascular e Endovascular, […]   Ver Lattes

Inscreva-se em nossa newsletter

Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.

Do que você precisa? Veja todos os procedimentos realizados pela Coris Vascular.

PESQUISAR