como-funciona-a-crioescleroterapia

Você já ouviu falar em crioescleroterapia? O nome, que é muito similar ao da conhecida escleroterapia, faz pensar que elas são parecidas. E realmente são, porém com uma pequena diferença que faz com que os dois tratamentos sejam bem distintos.

Ouça este conteúdo:

Neste texto que a Coris preparou, nós falaremos sobre a crioescleroterapia, explicando o que ela é, como funciona, suas vantagens e cuidados que devem ser tomados antes e após o tratamento. Confira abaixo!

O que é crioescleroterapia?

Da mesma maneira que os procedimentos com laser, com espuma e através de cirurgia, a crioescleroterapia é mais um dos tratamentos para as varizes. Diferindo dos anteriores, este tratamento é feito com a aplicação de injeções extremamente resfriadas diretamente nos vasos que foram afetados pelo problema.

Ela é muito eficiente e recomendada especialmente para tratar varizes pequenas, também chamadas de telangiectasias. Estas são caracterizadas por um calibre menor — cerca de 2 milímetros ou menos —, pela disposição linear sob a pele e pela aparência similar à de uma pequena teia de aranha. Podem ser identificadas por um cirurgião vascular por meio de um exame clínico no próprio consultório.

O surgimento da crioescleroterapia se deu na Europa, graças à vontade de desenvolver um método que fosse melhor e mais eficaz que os já existentes. Para isso, era preciso ter uma solução que exigisse um número menor de sessões, diminuísse ainda mais a sensação de dor do tratamento ou que tivesse menos riscos de complicações. Felizmente, este método uniu as três características a um preço competitivo, fazendo com que ele fosse um dos melhores caminhos.

Como a crioescleroterapia age?

Como já citamos, o funcionamento da crioescleroterapia é baseado em injeções resfriadas a temperaturas extremas. Utiliza-se as mesmas substâncias esclerosantes da escleroterapia convencional, porém com esta diferença de temperatura que, por sua vez, é proporcionada por um equipamento que reduz o produto a 40 graus negativos.

E é aí que está o grande diferencial da crioescleroterapia. Quando injetado, o esclerosante extremamente gelado passa a ter uma ação física a mais, destruindo a parede interna do vaso (ou telangiectasia) graças à baixa temperatura. O fato de agir no problema com mais agilidade e “agressividade” faz também com que o número de sessões necessárias para o tratamento seja consideravelmente menor — sempre, é claro, com a avaliação do médico responsável.

A escleroterapia convencional já apresenta, normalmente, baixos índices de desconfortos e dores para os pacientes durante o tratamento. No caso da crioescleroterapia, porém, isso é ainda mais notável. Isso porque o frio possui um efeito analgésico, reduzindo as sensações dolorosas.

E não é só a dor que é reduzida em função da temperatura do esclerosante injetado: as equimoses (extravasamento de sangue que causa as famosas manchas na pele) também diminuem drasticamente, fazendo com que o paciente não precise se preocupar tanto com o sol e com esforços físicos após as sessões.

Vantagens da crioescleroterapia

Ao longo de nossa explicação sobre como a crioescleroterapia funciona, nós já falamos um pouco a respeito das suas principais vantagens. Contudo, iremos listá-las para que você possa ver cada um dos benefícios com mais clareza. São eles:

  • ação física de destruição dos vasos mais forte (causada pelo efeito físico altamente forte do frio);
  • tratamentos mais curtos, com menor número de sessões (graças à maior eficiência que o frio proporciona, eliminando os vasos com mais agilidade);
  • índices de dor e desconforto muito mais baixos (ação analgésica do frio que torna o tratamento muito mais tranquilo para o paciente);
  • menor incidência de equimoses pós-sessão (não aparecem, pois, o tratamento causa a constrição dos vasos, fazendo a recuperação ser muito mais fácil);
  • tratamento mais barato (ainda que uma sessão seja um pouco mais cara que a da escleroterapia convencional, o número menor de sessões necessário faz com que o custo final do tratamento seja menor).

É necessário fazer algum tipo de preparação?

A única “preparação” necessária para a realização do tratamento por crioescleroterapia é o diagnóstico clínico feito pelo cirurgião vascular. É ele quem definirá se o método é indicado para o caso em questão, além do número de sessões a serem realizadas — número este que, vale dizer, pode variar de acordo com os resultados obtidos.

Por outro lado, existem os cuidados de prevenção de varizes, os quais devem ser tomados para aumentar ainda mais a efetividade dos resultados. Entre os principais cuidados, vale destacar:

  • movimentar-se para melhorar o fluxo sanguíneo;
  • manter o peso ideal para não acumular gordura no abdômen e prejudicar o fluxo;
  • usar calçados confortáveis e que não prejudiquem a circulação;
  • praticar exercícios regularmente;
  • manter uma alimentação saudável.

Gostou do nosso conteúdo? Aproveite para conhecer nossa página sobre crioescleroterapia e agendar sua consulta conosco!

Material escrito por:
Cirurgião Vascular - CRM 17157/ RQE 12550

Cirurgião  vascular formado em Medicina pela Universidade Estadual de Londrina, UEL, Brasil. Especialista em Cirurgia Vascular (AMB / SBACV). Especialista em Ecografia Vascular com Doppler (AMB - SBACV / CBR). Membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular. Atua com Cirurgia Vascular e Endovascular e Ultrassonografia Vascular com Doppler com ênfase em tratamento de doenças venosas/flebologia estética.   Ver Lattes

Inscreva-se em nossa newsletter

Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.

Do que você precisa? Veja todos os procedimentos realizados pela Coris Vascular.

PESQUISAR