tratamento-endovascular-para-aneurisma-abdominal

A aorta é o maior e mais importante vaso sanguíneo do nosso corpo. Ela sai do coração e segue para a região abdominal, onde se subdivide em ramificações menores para transportar o sangue rico em oxigênio para órgãos e tecidos. Devido à sua grande importância, quando a aorta é afetada pelo aneurisma abdominal é preciso buscar ajuda médica o quanto antes, já que a doença representa um grave risco à saúde do paciente caso não seja tratada nos estágios iniciais.

Ouça este conteúdo:

Assim como os aneurismas cerebrais, o aneurisma que acomete a aorta abdominal também é silencioso e assintomático em grande parte dos casos, o que exige uma atenção ainda maior do paciente. A boa notícia é que, com o tratamento endovascular, é possível evitar maiores complicações e conviver de maneira saudável com o problema. Continue a leitura e saiba mais sobre o procedimento!

O que é aneurisma abdominal?

O aneurisma abdominal é uma dilatação caracterizada por uma protuberância que surge no segmento da aorta e possui diâmetro maior do que 3 centímetros. O problema atinge, sobretudo, pacientes do sexo masculino com idade superior a 60 anos e pode ser fatal em caso de ruptura.

Causas

As causas do aneurisma abdominal não são completamente conhecidas, mas sabe-se que a aterosclerose – uma doença caracterizada pela presença de placas de gordura nas artérias – é responsável por grande parte dos casos. Além disso, existem fatores de risco que aumentam as chances do aparecimento do problema. Dentre os principais estão:

  • sexo masculino;
  • histórico familiar;
  • idade avançada;
  • fumo;
  • hipertensão arterial;
  • obesidade; 
  • colesterol elevado;
  • doença aterosclerótica pré-existente.

Sintomas

Como citamos no início do artigo, grande parte dos casos de aneurisma abdominal são assintomáticos, o que aumenta o risco de que ele cresça sem receber o diagnóstico adequado. Quando o aneurisma se expande rapidamente, o paciente pode começar a sentir uma pulsação na região abdominal, indicando que ele está prestes a se romper.

A ruptura do aneurisma causa fortes dores na região lombar e abdominal, frequência cardíaca acelerada e hemorragia, dentre outros sintomas. Se a perda de sangue for muito acentuada, o paciente corre o risco de sofrer choque hemorrágico, uma condição que é fatal em até 90% dos casos.

Diagnóstico

O aneurisma abdominal pode ser diagnosticado por meio da palpação da região do abdômen durante um exame físico, mas muitos casos são diagnosticados a partir da realização de exames de imagem. Nesses casos, o médico pode solicitar ressonância magnética, tomografia computadorizada e ultrassom da região abdominal.

Como o aneurisma é de difícil diagnóstico por ser assintomático, recomenda-se que pacientes masculinos acima de 60 anos e que apresentam fatores de risco relacionados à doença submetam-se ao exame de ultrassom da região abdominal uma vez ao ano. 

Tratamento endovascular

O objetivo de todo tratamento para aneurisma abdominal é evitar a sua ruptura. A intervenção cirúrgica pode ser realizada de maneira convencional ou por meio de um procedimento endovascular, sendo que este é mais vantajoso e comumente utilizado no tratamento da doença. 

Neste caso, a cirurgia é feita por meio de uma punção na artéria femoral na região inguinal do paciente. Através da punção, são inseridos 2 cateteres que conduzem uma prótese condicionada até a região em que se encontra o aneurisma. 

Em seguida, a prótese é colocada na posição ideal e se auto expande para prender-se nas paredes da aorta. Dessa maneira, a prótese evita que o sangue tenha contato com as paredes da aorta, uma vez que as paredes vão expandindo à medida que recebem sangue. 

A cirurgia é minimamente invasiva e considerada segura. O paciente fica internado por, no máximo, 2 dias e pode retornar às atividades normalmente na semana seguinte após a realização do procedimento. Comparada ao método tradicional, a grande vantagem do tratamento endovascular é proporcionar uma recuperação mais rápida e com o menor incômodo possível ao paciente. 

Contudo, o tratamento deve ser individualizado e a escolha da melhor técnica só pode ser considerada após avaliação por um profissional especializado. Se o paciente apresentar ruptura do aneurisma, é preciso buscar ajuda médica imediata para realizar o procedimento cirúrgico o mais rápido possível a fim de evitar sequelas e até mesmo o óbito. 

Ficou com alguma dúvida? Mande sua pergunta por meio de nossa página de contato. Em breve, iremos lhe responder. Até a próxima!

Material escrito por:
Cirurgião Vascular e Endovascular - CRM 4874 / RQE 10553

O Dr. Gilberto Galego é membro da equipe Coris Vascular. Graduou-se em Medicina pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC-1988) e concluiu o seu doutorado em Cirurgia na Universidad Autonoma de Barcelona (1992). É professor adjunto da UFSC, cirurgião vascular e endovascular e membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular. Marque a sua consulta com o Dr. Galego aqui na Coris Vascular! Fone: (48) 3322-1043 | (48) 9.8842-6181 (Whatsapp)   Ver Lattes

Inscreva-se em nossa newsletter

Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.

Do que você precisa? Veja todos os procedimentos realizados pela Coris Vascular.

PESQUISAR