Trombose Venosa Profunda (TVP) é a doença causada pela coagulação do sangue no interior das veias (vasos sanguíneos que levam o sangue de volta ao coração).

Devemos lembrar que a coagulação é um mecanismo de defesa do organismo – um exemplo é quando sofremos um corte. Mas, no caso da trombose venosa, essa coagulação ocorre em um local e momento inapropriado, levando a danos ao organismo.

Sintomas e fatores de risco

Em 90% dos casos, as veias acometidas são as dos membros inferiores (pernas e pés). Os sintomas mais comuns são o edema (inchaço) e a dor.

A TVP é mais frequente em pessoas portadoras de certas condições, como, por exemplo:

  • uso de anticoncepcionais ou tratamento hormonal;
  • tabagismo;
  • tumores malignos;
  • obesidade;
  • trombofilias (doenças que favorecem a coagulação e trombose);
  • história prévia de trombose venosa.

Outras situações importantes no desencadeamento da trombose são:

  • cirurgias de médio e grande porte;
  • traumatismo;
  • fase final da gestação;
  • pós-parto;
  • qualquer outra situação que obrigue imobilização prolongada (paralisias, viagens longas, fraturas, traumas, etc).

Tratamento

A TVP pode ser assintomática e o diagnóstico clínico, muitas vezes, não é simples. Exames de laboratório podem ser realizados, como D-dimeros, e o exame de imagem inicial mais utilizado é o ecodoppler.

O tratamento, geralmente, é realizado com substâncias anticoagulantes (que impedem a formação do trombo e a evolução da trombose). Em alguns casos, pode-se realizar a aspiração do trombo por cateter e uso de fibrinolíticos (que destroem o trombo).

Complicações

A TVP pode ser de extrema gravidade na fase aguda, causando embolia pulmonar, que, em alguns casos, pode ser fatal. A embolia pulmonar é causada pela fragmentação dos coágulos e a migração destes até os pulmões, entupindo as artérias pulmonares e gerando graves problemas cardíacos e pulmonares.

Na fase crônica, os principais problemas no local da trombose são causados pela inflamação da parede das veias. Ao cicatrizarem, estes vasos podem ter um funcionamento deficiente e proporcionar a chamada Síndrome Pós-Trombótica. Essa síndrome causa o aparecimento de lesões na pele, pigmentação escura da pele, grandes varizes, edema (inchaço das pernas), eczemas (lesões descamativas e com coceira) e úlceras de perna. Este tipo de complicação leva a imensos problemas sócio-econômicos pelo fato de necessitar um tratamento caro, prolongado e extremamente trabalhoso, para médicos, enfermagem, paciente e familiares.

Quer saber como está sua saúde vascular? Agende uma consulta na Coris! 

Material escrito por:
Cirurgião Vascular e Endovascular - CRM 14617 - RQE 7962

Especialista em Cirurgia Vascular (AMB/SBACV). Especialista em Angiorradiologia e Cirurgia Endovascular (AMB/SBACV/CBR) e Ecografia Vascular com Doppler (AMB - SBACV/CBR). Atua com Cirurgia Vascular e Endovascular e Ultrassonografia Vascular com Doppler e como instrutor em cursos para especialistas.   Ver Lattes

Inscreva-se em nossa newsletter

Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.

Do que você precisa? Veja todos os procedimentos realizados pela Coris Vascular.

PESQUISAR