úlcera na perna

Se você possui problemas vasculares e sofre com varizes, saiba que as consequências da falta de circulação adequada nos membros inferiores pode ir muito além das veias varicosas. A progressão da doença pode causar úlcera na perna, uma das complicações mais graves decorrentes da progressão da insuficiência venosa crônica.

Ouça este conteúdo: 

Para explicar causas, tratamentos, fatores de risco e outras informações relevantes sobre as úlceras na perna, realizamos uma entrevista com o Dr. Fernando Wolf, cirurgião vascular da Coris. Acompanhe!

O que é úlcera na perna?

A úlcera é uma ferida aberta na pele, geralmente localizada na área da perna abaixo do joelho e acima do tornozelo. Trata-se de um problema grave, que exige tratamento adequado para aliviar as dores, cicatrizar a ferida e garantir melhor qualidade de vida ao paciente. 

Qualquer pessoa que apresenta problemas de circulação venosa ou arterial pode ser acometida por uma úlcera na perna, mas o problema é mais frequente nos idosos, atingindo de 3% a 5% da população com mais de 65 anos, segundo o Dr. Fernando Wolf.

Quais são os tipos de úlcera?

As características das úlceras na perna são as mesmas para os diferentes tipos da doença, mas elas possuem causas e consequências distintas. Basicamente, existem 2 tipos de úlceras:

Úlceras venosas

O Dr. Fernando explica que esse é o tipo mais comum de úlcera: “A maioria das úlceras nas pernas são associadas a doenças vasculares, sendo que a insuficiência venosa é a causa principal, representando 80% dos casos”. O problema ocorre quando o sangue acumula-se na parte inferior das veias, aumentando a pressão sanguínea no local. Com a pele fragilizada, qualquer pequeno trauma pode resultar em lesão e evoluir para uma úlcera.

Várias veias da perna podem apresentar insuficiência venosa e resultar no aparecimento de úlceras. O Dr. esclarece melhor: “A doença pode ocorrer no sistema venoso superficial, onde se encontram as safenas; nas veias profundas, que são maiores e mais importantes; e nas veias perfurantes, que são aquelas que vêm do sistema profundo da musculatura para o sistema superficial”, elucida. 

Úlceras arteriais

As úlceras arteriais são decorrentes da falta de oxigenação adequada dos tecidos da perna. Segundo o Dr. Fernando, quando o corpo não é capaz de bombear o sangue corretamente para as pernas, os vasos vão obstruindo e impedindo a passagem do oxigênio – que é transportado pelo sangue – para que ele chegue aos tecidos. Como resultado, o paciente pode desenvolver úlceras. 

O doutor explica que as causas podem ser variadas: “A úlcera arterial pode estar associada a doenças arteriais, diabetes, infecções secundárias, anemia, má nutrição, doenças reumatológicas, doenças neoplásicas, câncer, traumas e doenças neuropáticas, como a hanseníase”.

Quais são os sintomas?

Segundo o Dr. Fernando, as úlceras venosas, geralmente, são pouco dolorosas. Já as úlceras arteriais podem causar fortes dores ao paciente. Além das feridas na perna, o doutor elenca outros sintomas que são bem comuns para quem sofre com o problema: 

  • inchaço nas pernas;
  • sensação de queimação;
  • dermatites;
  • vermelhidão;
  • pele seca e descamativa;
  • cianose.

Fatores de risco

Independente do tipo de úlcera, as origens para a doença estão relacionadas a hábitos de vida prejudiciais à saúde do paciente que comprometem a circulação venosa e arterial. Segundo o Dr. Fernando, os principais fatores de risco que podem levar ao desenvolvimento de problemas venosos e arteriais e, consequentemente, favorecer o aparecimento de úlceras são:

Como tratar as úlceras nas pernas?

Os tratamentos para úlceras têm o objetivo de cicatrizar as feridas e revascularizar o paciente. O Dr. Fernando destaca que adotar hábitos de vida saudáveis é fundamental para solucionar o problema: “O tratamento deve começar com a realização de atividades físicas, principalmente aquelas que promovem fortalecimento dos membros inferiores e ajudam no condicionamento de panturrilha e do controle adequado do peso”, afirma.

Outro fator importante é realizar os curativos adequadamente para cicatrizar a ferida o quanto antes. O doutor ainda aponta que a compressão também deve fazer parte do tratamento: “A compressão elástica com meias e botas permite melhorar o retorno venoso e consegue acelerar o processo de cicatrização”, explica o especialista. 

Casos mais graves, que acometem a veia safena, por exemplo, exigem tratamentos mais definitivos com o intuito de fechamento ou retirada dos vasos doentes, que podem ser realizados, principalmente, por endolaser e escleroterapia com espuma densa.

A importância da avaliação médica

O paciente que apresenta úlceras na perna deve buscar ajuda médica o quanto antes para evitar que o quadro se agrave. Segundo o Dr. Fernando a consulta com um profissional é fundamental: “Quando o paciente está com úlcera na perna é importante realizar uma avaliação vascular, pois, a avaliação correta pode evitar que ocorram complicações mais graves, além de otimizar o tratamento e trazer soluções para uma cicatrização mais rápida”, ressalta.

Além disso, a consulta médica permite que cada caso seja avaliado individualmente, possibilitando que o paciente receba um tratamento personalizado de acordo com a gravidade do problema. 

Gostou da participação do Dr. Fernando Wolf? Aproveite para conhecer melhor o currículo e as experiências do especialista.

Material escrito por:
Cirurgião Vascular - CRM 16481/ RQE 14117 e 14116

Formado em Medicina  pela  Universidade  do  Vale  do  Itajaí  (2010). Especialista em Cirurgia  Geral e Cirurgia  Vascular no Hospital  Universitário Professor  Polydoro  Ernani  de  São  Thiago  -  (UFSC)  Florianópolis  SC. Atua com Angiorradiologia  e Cirurgia  Endovascular  na  CORIS  Medicina  Avançada.   Ver Lattes

Do que você precisa? Veja todos os procedimentos realizados pela Coris Vascular.

PESQUISAR