Já falamos que a aterosclerose é uma doença que gera acúmulo de gordura nas paredes das artérias. Quando o vaso sanguíneo afetado são as artérias carótidas, que leva sangue ao cérebro, pode causar o acidente vascular isquêmico. A importância da conscientização e se dá porque o acidente vascular cerebral (AVC)  é a terceira causa de óbito da população e a segunda causa de óbito entre as doenças cardiovasculares.

Existem dois tipos de acidente vascular cerebral – também conhecido como derrame. Um deles é o hemorrágico, e acontece quando o vaso se rompe, levando a um sangramento e aumento de pressão no cérebro. Esse é o tipo mais grave de AVC.

O segundo é o isquêmico, tipo mais comum de AVC. Ele é caracterizado pela interrupção do fluxo de sangue para o cérebro (isquemia), causado pelo acúmulo de gordura nas artérias. Continue lendo o artigo para saber mais sobre as causas e sintomas desse tipo de AVC.

O que é a aterosclerose das artérias carótidas?  

A arterosclerose é caracterizada pelo depósito de gordura, cálcio e outros elementos na parede das artérias, o que reduz o fluxo sanguíneo. A arterosclerose pode ocorrer em artérias de vários locais do corpo, como nas pernas, artérias viscerais, renais e, no caso do AVC, nas artérias carótidas.

As artérias carótidas, juntamente com as artérias vertebrais, localizadas no pescoço, fornecem o fluxo sanguíneo para o cérebro. A obstrução dessas artérias causará o acidente vascular cerebral, cujo quadro clínico dependerá da localização da isquemia e do tempo de duração.

Sintomas

A isquemia pode se manifestar com os seguintes sintomas:

  • Perturbações visuais;
  • dor de cabeça muito forte e de início súbito;
  • paralisias transitórias;
  • dificuldade para se comunicar;
  • fraqueza ou dormência na face e membros, geralmente afetando apenas um lado do corpo;
  • desmaios.

O AVC é uma emergência médica. Assim, quando esses sintomas são descobertos devem ter suas causas identificadas o mais rápido possível para iniciar o tratamento.

Cada minuto é valioso: a obstrução em um vaso sanguíneo que fornece sangue ao cérebro bloqueia a passagem de oxigênio para os neurônios, e os impactos aumentam muito rapidamente. Milhões de células cerebrais são prejudicadas a cada minuto em um AVC não tratado.

Para avaliar os sintomas, o médico dispõe de vários exames, como o Eco Color Doppler, a tomografia, a ressonância magnética, a arteriografia, etc.

Prevenção e tratamento

Segundo a Academia Brasileira de Neurologia (ABN), 90% dos casos de acidente vascular cerebral estão ligados à fatores que podem ser prevenidos. Algumas medidas importantes para evitar essa doença são:

  • não exagere no sal, açúcar e gordura;
  • pratique atividades físicas;
  • controle o colesterol e o peso;
  • afaste-se de fontes de estresse;
  • pare de fumar e evite o álcool;

Quanto ao tratamento do AVC, este poderá ser clínico ou cirúrgico, dependendo do grau de obstrução das artérias e intensidade do quadro clínico. Igualmente à arterosclerose, a melhor conduta é a prevenção, buscando a orientação de um especialista.
Conheça os tratamentos oferecidos pela Coris.

Material escrito por:
Cirurgião Vascular e Endovascular - CRM 4089 / RQE 10592

Médico graduado pela Universidade Federal de Santa Catarina, em 1985. Realizou o doutorado em Medicina e Cirurgia na Universidad Autonoma de Barcelona (1991).

Do que você precisa? Veja todos os procedimentos realizados pela Coris Vascular.

PESQUISAR